25 de mai de 2010

Quebrando o favoritismo.


Textos usados: Gênesis 27,Gênesis 32: 22-31 e Gênesis 33: 1-17

Uma das maiores doenças no homem é acometida por meio do espírito de inferioridade e rejeição, isto começa muitas das vezes no seio da família com “favoritismo”, pais que muita das vezes preferem mais um filho do que o outro filho que preferem mais seu pai do que a sua mãe e vice-versa, irmãos que preferem mais irmão um do que o outro.

Esta é a estratégia nascida no coração do diabo para paralisar e fazer adoecer o homem. Mas em Isaías 53: 4 diz que “Ele tomou sobre Si nossas enfermidades e nossas dores”, sobre Ele estava a dor de ser preterido, de ser rejeitado, a cura para a família foi conquistada na cruz do calvário.

Eu quero lhe trazer a mente a história desta família composta por Isaque (o pai), Raquel (a mãe), Esaú e Jacó (os filhos), que foi acometida por esta praga chamada favoritismo e que trouxe um transtorno e feridas no meio desta família.
Mas vamos entender melhor:


I. O que é favoritismo?
Vem de favorecer dispensar ajuda, apoiar, proteger.
tem haver com favorito, ou seja, o que mais agrada, pessoa que goza da preferência, simpatia ou predileção de alguém.
Favoritismo inclinação por acolher ou amparar favores injustos, ilegais. Proteção por influências escusas e pessoais.
O favoritismo traz discórdias, facções, competição e feridas na alma como rejeição e inferioridade. Foi isto que aconteceu com a família de Isaque; Isaque preferia seu filho Esaú que lhe tratava bem, de outro lado tinha Rebeca que preferia seu filho Jacó, ambos não tinham visão nenhuma de como preservar seus filhos de feridas enormes na alma.

II. O que o favoritismo traz para dentro de sua Família (Gênesis 27)?
2.1.) O espírito de disputa e competição.
Rebeca ao ouvir o que Isaque tinha dito ao seu filho Esaú, chama seu filho Jacó e conta o que ouviu e incentiva seu filho a disputar com o outro a benção que seria dada por Isaque. No seio da família não deve existir este espírito, quando isto acontece à família deixa de ser família e passa ser um ringue, um campo de futebol com equipes uma contra a outra, com adversários no mesmo lugar. Cuidado com o que você ouve dentro da sua casa e como você passa o que ouviu. Rebeca deveria ter chamado o seu marido aberto os seus olhos e dito meu querido não podemos abençoar mais um filho do que o outro, pois ambos são nossos filhos.
Isaque por sua vez se afeiçoou mais ao seu filho Esaú por causa de sua caça que era gostosa (Gênesis 25: 27 e 28), por isso destinou a Esaú uma benção.
Os nossos filhos, cada um tem seu valor, e Isaque esqueceu disto, pois cada filho é uma herança de Deus para nós.
Quantos de nós como pais temos essa atitude de Isaque e Rebeca, preferimos mais um filho do que o outro, ou preferimos mais aos nossos sobrinhos do que aos nossos filhos, ou até mesmos preferimos mais um jogo de futebol do que os nossos filhos ou família. Ou quantos de nós já fomos Esaú e Jacó, esquecidos por alguém que tanto amamos. Esaú tinha uma ferida não era o predileto de sua mãe, e Jacó tinha outra ferida não era o predileto de seu pai, e com isto o espírito de disputa e competição foi estabelecido.

2.2) O favoritismo traz espírito de engano e mentira.
Rebeca ensinou ao seu filho Jacó a enganar o próprio pai, Rebeca fala ao seu filho assim: “agora, pois, filho meu, ouve a minha voz naquilo que eu te mando; vai agora ao rebanho, e traze-me de lá dois bons cabritos das cabras, e eu farei deles um guisado saboroso para teu pai, como ele gosta, e lava-lo-ás a teu pai, para que o coma; para que te abençoe antes de sua morte.” (Gênesis 27: 8-10)

Como este espírito está assentado dentro de várias famílias, mães e pais que ensinam a seus filhos a mentirem, a enganarem, para que sejam favorecidos ou aceitos.

2.3) O favoritismo faz com que outros se passassem por aquilo que não são.
Jacó em busca de uma benção, por não ser o favorito de seu pai, mente e se passa por aquilo que não é (Gênesis 27: 15-19).

O favoritismo traz consigo essa busca de ser reconhecido e traz consigo uma rejeição, talvez Jacó nunca tivesse sido beijado por seu pai como foi naquele instante, sua rejeição tivesse sido amortecida com aquele beijo. Jacó se passou por aquilo que não era, aquela veste não era sua, aquele cheiro não era o seu. Quantos Jacós estão dentro da nossa casa em busca de uma benção nossa, em busca de um beijo nosso, em busca de podermos aceitar aquilo que eles tem para oferecer.E agora quantos Jacós estão dentro de nós mesmos?
Os Jacós que estão dentro de nós nos faz andar debaixo de uma cobertura que nos leva mentir e a enganar, faz com que venhamos a passar por aquilo que não somos desprezando aquilo que somos, nos tornar manipulados por uma rejeição.
Sejamos libertos deste espírito sabendo que somos amados, que temos valor e que a benção que está destinada a nós ninguém pode roubar, que a benção do meu irmão é do meu irmão e que a minha benção será sempre a minha benção.

2.4) O favoritismo traz amargura, dor e desejo de vingança.
Esaú ao saber que seu irmão tinha o traído mais uma vez (e tudo isto por causa de favoritismo existente em sua família) seu brado foi um brado de amargura (Gênesis 27: 34). O que os nossos filhos e irmãos tem bradado? Nossas casas, muita das vezes estão cheias de brados de amargura, até quando vamos tampar nossos ouvidos a esses brados?
Em Gênesis 27: 38 diz que Esaú falou para o seu pai: “Pai tens uma só benção para mim? Abençoa-me também a mim. E levantou Esaú a sua voz, e chorou.” Logo em seguida nós vamos ver no mesmo capítulo no verso 41 Esaú desejando no seu coração a morte de seu irmão. Quantas vezes no nosso arraial estão cheias de amarguras, dor e desejo de vingança porque alguém abriu a porta para o favoritismo, e derrepente quem abriu esta porta foi você, está na hora de você ordenar que isto venha sair agora e fechar esta porta aberta.

III. Como derrubar o favoritismo dentro da nossa casa?
a) Quebrando as maldições hereditárias.

Porque Isaque também foi o preferido de seu pai Abrão e não repreendeu essa maldição que acabou pousando em sua casa. Rejeite o favoritismo dentro de você, não seja partidário, declare que todos de sua família são especiais.

b) Reconheça o seu erro (Gênesis 32: 22-31).

Jacó reconheceu o seu erro com seu irmão. Faça o mesmo reconheça o seu erro, Jacó esteve em Peniel e foi confrontado com o que ele era e o que tinha feito. Não fuja deste confronto reconheça onde você errou e mude de atitudes.

c) Libere perdão (Gênesis 33: 1-17)

O encontro de Esaú e Jacó foi lindo no verso 4 diz que: “Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram”. Libere perdão para aqueles que no meio desta porta aberta do favoritismo te machucaram ou que você feriu. O perdão é a porta que nos conduz a cura e a libertação, entre por esta porta chamada perdão e se prepare para viver o que Esaú e Jacó viveram, o beijo que foi negado a Jacó e que ele roubou de seu pai agora ele recebe de seu irmão sobre um manto de perdão. Assim será com você também.

Conclusão:

Não permita que sua família esteja sobre a influência do favoritismo, que é uma influência demoníaca. Diga não!
Levante-se como aquele que tem autoridade e repreenda o favoritismo, que vem trazendo rejeição, inferioridade, competição, ódio etc. Declare que sua família é propriedade exclusiva do Senhor.
Ame cada componente de sua família, valorize cada um, veja seus filhos como herança do Senhor, veja seus pais como aqueles que merecem honra, veja sua esposa como a mulher de provérbios 31 e veja seu esposo como melhor sacerdote que Deus te deu.

Deus abençoe você e sua família,
Um beijo no coração,
Pastora Solange Bello
Deus

Nenhum comentário: